Passos
segunda-feira, setembro 30, 2002
      ( 2:16:00 da tarde ) Letícia  

Teus olhos são rãs estáticas
quase... prestes a saltar

Vejo-os em todo lugar,
preparo punhados de sal.

Teus olhos hirtos se escondem
em terras de arroz e sisal.

(Qualquer movimento é motivo de fuga,
qualquer chuva é motivo pra ir)

Persigo teus olhos anfíbios que fogem,
verdes folhas ao vento,
prestes a cair.

(desde ontem) #




terça-feira, setembro 24, 2002
      ( 8:52:00 da tarde ) Letícia  

A uma pastora, no outono (ou Entre vírgulas e parênteses)

As folhas, mortas, caem,
Como mãos,
Delicadas mãos
E afagam o ventre da Terra

(Onde se escondeu a semente,
De onde veio a árvore,
Que estendeu os braços para o céu,
E de lá derrubou castanhas mãos,
Delicadas folhas, mortas,
Que a Terra afaga, com o ventre). #




terça-feira, setembro 17, 2002
      ( 7:11:00 da tarde ) Kel  

girassóis de plástico

eles estão florindo contra um fundo azul de latex.
eles são flores. e são plástico. as pétalas amarelas me causam o mal-estar
do que é mas não devia ser. no entanto, florescem. são girassóis.

é o plástico que brota em pétalas
ou o girassol que nasce do impossível?

(numa vitrine de setembro/02) #




Aqui tambem:
Ten Ryu
Sognare

archives:


pé ante pé.. a caminho do que vir?.

Powered by Blogger